Projeto de curso

PÓS GRADUAÇÃO ENGENHARIA DE MÁQUINAS E EQUIPAMENTOS EAD

Ensino a Distância – EAD
(Resolução CES/CNE/MEC nº 01/2018)
CURSO CADASTRADO NO MEC EM 11/09/2020
Os cursos de pós graduação à distância são disciplinados pelo Decreto nº 9057/17

OBJETIVOS GERAIS

Capacitar os participantes para a aplicação de conhecimentos na engenharia de maquinas e equipamentos, no âmbito deste curso, aplicando para isto, técnicas de análise de falhas e de aumento da confiabilidade da função. Também faz parte do objetivo do curso desenvolver competências comportamentais para que os participantes possam exercer funções de liderança e gerir as equipes de modo eficaz e seguro.

ESTRUTURA CURRICULAR E CARGA HORÁRIA

O Curso está estruturado com 15 (quinze) módulos, 61 (sessenta e uma) UAS (disciplinas), totalizando 488 horas/aula.

PÓS GRADUAÇÃO LATO SENSU EM ENGENHARIA DE MÁQUINAS E EQUIPAMENTOS– EAD
DISCIPLINAS UNIDADES DE APRENDIZAGENS OBJETIVOS H/A
METODOLOGIA DA PESQUISA CIENTIFICA
INTRODUÇÃO AO MÉTODO DE PESQUISA
18806
- Reconhecer a importância da escolha de um método científico para a realização de uma pesquisa.
- Diferenciar as abordagens dos métodos clássicos de pesquisa.
- Reconhecer os demais métodos de pesquisa.

8

MÉTODOS CIENTÍFICOS
1369
- Identificar as fases do Método Científico.
- Reconhecer o Método Científico como construtor de conhecimento científico.
- Diferenciar o Método Científico dos demais métodos existentes.

8

APRESENTAÇÃO DE PESQUISA
18814
- Identificar tipos de textos científicos.
- Descrever a estrutura de cada tipo de texto científico.
- Apresentar um trabalho de pesquisa científica.

8

PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO
PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO
14092
- Reconhecer a definição de planejamento estratégico.
- Listar os objetivos e a importância do planejamento estratégico.
- Identificar um exemplo de planejamento estratégico.

8

MÉTODOS E AVALIAÇÃO DA ESTRATÉGIA
5252

- Identificar os métodos pelos quais as estratégias podem ser adotadas
- Empregar três critérios de sucesso para avaliar as opções estratégicas: adequação, aceitabilidade e viabilidade
- Apresentar diferentes técnicas para avaliar as opções estratégicas

8

FORMULAÇÃO DA ESTRATÉGIA COMPETITIVA
18397

- Identificar as estratégias da matriz Ansoff.
- Explicar o modelo Porter das estratégias genéricas de competição.
- Definir cadeia de valor e por que é importante para a formulação da estratégia da organização.

8

PLANEJAMENTOS ESTRATÉGICO, TÁTICO E OPERACIONAL
18400

- Diferenciar planejamento estratégico dos planejamentos tático e operacional.
- Relacionar os planejamentos de curto, médio e longo prazo com a saúde financeira da organização.
- Realizar projeções das situações econômico financeiras e patrimonial da empresa.

8

GERENCIAMENTO DE PROJETOS
PROJETO EM ADMINISTRAÇÃO DA PRODUÇÃO
10988

- Reconhecer o conceito de gerenciamento de projetos
- Identificar as partes que compõem um projeto
- Analisar os diferentes tipos de projetos

8

LIDERANÇA: SER UM GERENTE DE PROJETOS EFICAZ
2913

- Reconhecer as diferenças entre liderar e gerenciar um projeto
- Identificar a importância de gerenciar as partes interessadas de um projeto
- Analisar as diferentes fontes de influência que são usadas para descrever como os gerentes de projetos constroem o capital social

8

PROJETOS DE ELEMENTOS DE MÁQUINAS
17689

- Reconhecer os principais requisitos de projetos de elementos de máquinas.
- Identificar os recursos de simulação e elementos finitos em projetos de elementos de máquinas.
- Verificar os elementos de máquinas e como chegar a condições de velocidade acentuadas conhecidas.

8

PRINCÍPIOS DA ECONOMIA DE MOVIMENTOS RELACIONADOS COM O PROJETO DE EQUIPAMENTOS E FERRAMENTAS
11067

- Explicar os conceitos dos princípios da economia de movimentos relacionados com o projeto de equipamentos e ferramentas
- Identificar os diferentes tipos de movimentos relacionados com o projeto de equipamentos e ferramentas
- Resolver problemas relacionados aos princípios da economia de movimentos e o projeto de equipamentos e ferramentas

8

ENGENHARIA DA CONFIABILIDADE E ANÁLISE DE RISCO
FUNDAMENTOS DA ENGENHARIA DA CONFIABILIDADE
20198

- Definir confiabilidade.
- Relacionar a aplicação dos conceitos de confiabilidade com as atividades de engenharia.
- Descrever aplicações da engenharia de confiabilidade.

8

MANUTENÇÃO CENTRADA NA CONFIABILIDADE (RCM)
19233

- Descrever os conceitos de Manutenção Centrada na Confiabilidade.
- Identificar as relações entre confiabilidade, disponibilidade e manutenabilidade.
- Discutir o conceito de análise de falhas na implantação da RCM.

8

INDICADORES DE MANUTENÇÃO E CONFIABILIDADE I
20200

- Explicar a importância das medidas de desempenho no âmbito da confiabilidade.
- Identificar situações práticas para a utilização dos índices de confiabilidade.
- Reconhecer a diferença do tempo médio entre falhas e do tempo médio até falhar.

8

INDICADORES DE MANUTENÇÃO E CONFIABILIDADE II
20201

- Conceituar tempo médio de reparo e manutenabilidade.
- Definir disponibilidade em confiabilidade.
- Aplicar o conceito de taxa de falhas.

8

ANÁLISE DA ÁRVORE DE FALHA (FTA)
20209

- Conceituar causa raiz, árvore de eventos e árvore de falhas.
- Descrever a lógica construtiva de uma árvore de falhas.
- Aplicar a árvore de falhas em análises de confiabilidade.

8

ELEMENTOS DE MÁQUINAS I
INTRODUÇÃO À APRENDIZAGEM DE MÁQUINA
29010

- Definir a área de aprendizagem e a sua terminologia
- Demonstrar o processo de aprendizado de máquina
- Identificar as tarefas do aprendizado de máquina.

8

SEGURANÇA NO TRABALHO EM MÁQUINAS E EQUIPAMENTOS
6224

- Demonstrar as exigências para promover a segurança na operação de máquinas e equipamentos.
- Identificar a normatização que regulamente a segurança do trabalho com máquinas e equipamentos.
- Indicar as situações de inadequação de máquinas e equipamentos que precisam de modificação para torna-los seguros.

8

TIPOS DE CARREGAMENTO E ANÁLISE DE ESFORÇOS – CHOQUES E CARGAS DE CHOQUES
17692

- Identificar os tipos de esforços suscetíveis nos elementos de máquinas.
- Realizar a análise de esforços em função do diagrama de esforços.
- Descrever o que são choques e cargas de choques ou impacto em elementos de máquinas.

8

ANÁLISE DE ESTRUTURAS, MOMENTO FLETOR E MOMENTOS DE INÉRCIA
18665

- Identificar os principais esforços de uma estrutura de máquina.
- Entender o efeito do momento fletor em engastes de máquinas.
- Calcular o momento de inércia de eixos e de juntas.

8

ELEMENTO DE MAQUINA II
TIPOS DE TRANSMISSÕES E ACOPLAMENTOS
18670

- Diferenciar os principais tipos de transmissões e acoplamentos.
- Calcular uma transmissão nos sistemas mecânicos.
- Definir o tipo de acoplamento em função da aplicação.

8

TIPOS DE UNIÕES
18671

- Classificar as uniões.
- Diferenciar os principais tipos de uniões de elementos de máquinas: solda, rebite, pino, chaveta e elementos roscados.
- Identificar os esforços a que as uniões estão sujeitas.

8

TIPOS DE ENGRENAGENS
18672

- Reconhecer a classificação e os principais tipos de engrenagens.
- Identificar a fabricação das engrenagens e suas propriedades mecânicas como dureza de dentes e núcleo tenaz.
- Aplicar o cálculo e o dimensionamento de engrenagens.

8

SISTEMAS DE FORÇAS
18663

- Descrever a distribuição de forças em elementos de máquinas.
- Decompor forças em elementos de máquinas.
- Calcular forças em elementos de máquinas.

8

ACOPLAMENTOS, FREIOS E VOLANTES
17701

- Identificar como funcionam os acoplamentos, freios e volantes.
- Dimensionar acoplamentos, freios e volantes.
- Escolher acoplamentos, freios e volantes de acordo com o que existe no mercado.

8

ELEMENTOS DE MÁQUINAS III
MAQUINAS TÉRMICAS (Definição e Classificação)
17289

- Reconhecer a importância das máquinas térmicas e as circunstâncias de seu surgimento.
- Analisar a classificação das máquinas térmicas e suas definições.
- Identificar como ocorre a transformação de calor em trabalho por meio das máquinas térmicas.

8

COMANDO DAS MÁQUINAS OPERATRIZES
16681

- Reconhecer os comandos das máquinas operatrizes.
- Identificar os comandos óleo-dinâmicos.
- Descrever comandos especiais das máquinas operatrizes.

8

FINALIDADES, UTILIZAÇÃO, TRANSMISSÃO DAS MÁQUINAS OPERATRIZES
16680

- Reconhecer as finalidades de cada uma das máquinas operatrizes.
- Definir qual máquina utilizar de acordo com a peça a ser fabricada.
- Analisar os princípios de transmissão de movimento das máquinas operatrizes.

8

INTRODUÇÃO ÀS MÁQUINAS ROTATIVAS
23759

- Descrever as características das máquinas rotativas.
- Analisar o princípio de funcionamento de máquinas elétricas.
- Interpretar o dimensionamento de máquinas rotativas.

8

EQUIPAMENTOS
MANUTENÇÃO DE EQUIPAMENTOS E INSTALAÇÕES
17751

- Descrever o plano de manutenção de equipamentos e instalações.
- Diferenciar os tipos de manutenção aplicados em equipamentos e instalações.
- Reconhecer o custo da manutenção e sua importância nos equipamentos de medição.

8

PRINCÍPIOS DA ECONOMIA DE MOVIMENTOS RELACIONADOS COM O PROJETO DE EQUIPAMENTOS E FERRAMENTAS
11067

- Explicar os conceitos dos princípios da economia de movimentos relacionados com o projeto de equipamentos e ferramentas
- Identificar os diferentes tipos de movimentos relacionados com o projeto de equipamentos e ferramentas
- Resolver problemas relacionados aos princípios da economia de movimentos e o projeto de equipamentos e ferramentas

8

PARADAS TEMPORÁRIAS DE EQUIPAMENTOS
19228

- Categorizar as paradas temporárias de equipamentos.
- Discorrer sobre as estratégias das paradas de manutenção.
- Construir modelos de listas de verificação e ações para paradas temporárias de equipamentos.

8

MOTIVOS DA SUBSTITUIÇÃO DE EQUIPAMENTOS
14110

- Identificar os motivos da substituição de equipamentos
- Determinar a vida útil econômica
- Reconhecer os conceitos de defensor e desafiador para a análise de substituição

8

EQUIPAMENTOS ELÉTRICOS
NORMAS TÉCNICAS ADOTADAS
17610

- Determinar as normas técnicas adotadas em instalações elétricas industriais.
- Reconhecer os principais itens das normas de segurança em instalações elétricas.
- Analisar os principais pontos da norma NBR 5410.

8

CHAVES SECCIONADORAS
17616

- Definir as características das chaves seccionadoras.
- Analisar a aplicação de chaves seccionadoras.
- Relacionar as chaves seccionadoras às normas de segurança.

8

DESENHOS DE EQUIPAMENTOS ELÉTRICOS E ELETRÔNICOS
17346

- Reconhecer a simbologia utilizada no desenho de equipamentos elétricos e eletrônicos.
- Aplicar as normas técnicas relativas ao desenho de equipamentos elétricos e eletrônicos.
- Analisar o desenho de equipamentos elétricos e eletrônicos.

8

ESTUDOS DE CURTO-CIRCUITO E SUPORTABILIDADE DE EQUIPAMENTOS ELÉTRICOS A CORRENTES DE CURTO-CIRCUITO
17648

- Definir o estudo de curtos/circuitos.
- Interpretar a corrente de curto/circuito em equipamentos elétricos.
- Analisar a suportabilidade de equipamentos elétricos a correntes de curto/circuito.

8

PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIO
INSTALAÇÕES CONTRA INCÊNDIO I
18527

- Reconhecer os elementos dos sistemas de prevenção de incêndio.
- Projetar espaços para sistemas de prevenção de incêndio.
- Construir vistas e isométricos dos sistemas de prevenção de incêndio.

8

INSTALAÇÕES CONTRA INCÊNDIO II
24745

- Explicar o que é reserva técnica de água no combate a incêndio.
- Determinar o que são componentes do sistema de tubulação de incêndio.
- Identificar os tipos de arranjos de sistemas de pressurização de hidrantes.

8

PREVENÇÃO E COMBATE À INCÊNDIO: COMPONENTES E DIMENSIONAMENTO
12047

- Definir a função do Plano de Prevenção Contra Incêndio
- Identificar os principais equipamentos de proteção contra incêndio
- Explicar as metodologias de dimensionamento nas normas dos principais sistemas específicos

8

SEGURANÇA EM ELETRICIDADE
701

- Identificar os fatores elétricos que determinam a gravidade do choque elétrico e as precauções gerais que devem ser observadas ao trabalhar com equipamentos elétricos
- Definir os equipamentos de proteção individual a serem utilizados em trabalhos e atividades em eletrotécnica
- Listar os procedimentos a serem seguidos no caso de um incêndio elétrico

8

AUTOMAÇÃO INDUSTRIAL
AUTOMAÇÃO INDUSTRIAL
10725

- Descrever o surgimento e o estabelecimento da automação no contexto industrial
- Identificar a linguagem de programação Ladder
- Diferenciar os tipos de robôs

8

ARQUITETURA DA AUTOMAÇÃO INDUSTRIAL
26938

- Descrever os cinco níveis da pirâmide de automação.
- Reconhecer o papel do controlador lógico programável.
- Caracterizar o papel da engenharia de software na automação.

8

MOTORES ELÉTRICOS
26947

- Descrever os acionamentos de motores elétricos em automação industrial.
- Diferenciar os benefícios na aplicação de motores de corrente contínua e alternada em aplicações de automação industrial.
- Identificar tipos e aplicações de motores especiais em automação industrial.

8

DIAGRAMA DE BLOCOS DE PROCESSOS
26940

- Enumerar etapas do memorial descritivo de automação.
- Categorizar fluxogramas e diagramas de processos.
- Aplicar diagrama de blocos de processos em projetos de automação.

8

FERRAMENTAS DE CONTROLE DE PROCESSO
FERRAMENTAS BÁSICAS DA QUALIDADE: FOLHA DE VERIFICAÇÃO, DIAGRAMA DE PARETO, FLUXOGRAMAS E DIAGRAMA DE CAUSA E EFEITO
12246

- Reconhecer utilidade, características e forma de elaboração da folha de verificação
- Definir as aplicações e formas de elaboração dos diagramas de Pareto e de causa e efeito
- Identificar os principais tipos de fluxograma, suas características e aplicações

8

INSPEÇÃO POR AMOSTRAGEM
11994

- Identificar os conceitos fundamentais relacionados à amostragem
- Definir as características e as utilidades da inspeção por amostragem
- Reconhecer os elementos e a forma de aplicação da inspeção por amostragem

8

CAUSAS DA VARIABILIDADE
11996

- Definir as diferentes variáveis em um processo
- Reconhecer causas comuns de variação
- Identificar causas especiais de variação

8

FERRAMENTAS BÁSICAS DA QUALIDADE – HISTOGRAMAS; DIAGRAMA DE DISPERSÃO; GRÁFICOS DE CONTROLE.
11990

- Reconhecer destinação e forma de elaboração do histograma
- Definir características e aplicações do diagrama de dispersão
- Identificar atributos e utilidades dos gráficos de controle

8

ECONOMIA DE MOVIMENTO
PRINCÍPIOS DA ECONOMIA DE MOVIMENTOS RELACIONADOS AO USO DO CORPO HUMANO
11065

- Expressar os conceitos de princípios da economia de movimentos relacionados ao uso do corpo humano.
- Identificar os diferentes tipos de movimentos relacionados ao uso do corpo humano.
- Resolver problemas relacionados aos princípios da economia de movimentos relacionados ao uso do corpo humano

8

PRINCÍPIOS DA ECONOMIA DE MOVIMENTOS RELACIONADOS COM O LOCAL DE TRABALHO
11066

- Expressar os conceitos dos princípios da economia de movimentos relacionados com o local de trabalho.
- Identificar os diferentes tipos de movimentos relacionados com o local de trabalho.
- Resolver problemas relacionados aos princípios da economia de movimentos com o local de trabalho

8

PRINCÍPIOS DA ECONOMIA DE MOVIMENTOS RELACIONADOS COM O PROJETO DE EQUIPAMENTOS E FERRAMENTAS
11067

- Explicar os conceitos dos princípios da economia de movimentos relacionados com o projeto de equipamentos e ferramentas.
- Identificar os diferentes tipos de movimentos relacionados com o projeto de equipamentos e ferramentas.
- Resolver problemas relacionados aos princípios da economia de movimentos e o projeto de equipamentos e ferramentas.

8

TROCA RÁPIDA DE FERRAMENTAS E IMPORTÂNCIA DO GARGALO
19229

- Descrever o conceito de Troca Rápida de Ferramentas.
- Discutir o conceito de gargalo nos sistemas produtivos.
- Relacionar o uso de Sistemas de Troca Rápida de Ferramentas com o conceito de disponibilidade.

8

ERGONOMIA
PRINCIPAIS CONCEITOS DE ERGONOMIA
18941

- Definir os principais conceitos relacionados à ergonomia.
- Identificar as principais correntes da ergonomia.
- Reconhecer as diversas áreas de atuação da ergonomia.

8

ANÁLISE ERGONÔMICA DO TRABALHO (AET)
17423

- Descrever o processo de análise ergonômica do trabalho (AET).
- Discutir a sequência lógica da análise ergonômica do trabalho para resolver os problemas no ambiente de trabalho.
- Resolver problemas ergonômicos utilizando a análise ergonômica do trabalho.

8

PROJETO ERGONÔMICO
10998

- Expressar o conceito de ergonomia e as aplicações dos estudos ergonômicos no ambiente de trabalho.
- Identificar as implicações da fisiologia do trabalho no projeto de sistemas produtivos.
- Relacionar os aspectos ergonômicos com as necessidades dos sistemas produtivos.

8

BIOMECÂNICA OCUPACIONAL
21498

- Descrever o funcionamento do corpo humano na realização do trabalho.
- Reconhecer as condições de trabalhos musculares estáticos e dinâmicos.
- Identificar formas de minimizar distúrbios posturais na realização do trabalho.

8

MOVIMENTAÇÃO DE MATERIÁIS NAS ATIVIDADES LOGISTICAS
EQUIPAMENTOS DE MOVIMENTAÇÃO DE MATERIAIS EM SISTEMAS DE ARMAZENAGEM
3781

- Conhecer as categorias de equipamentos de movimentação e os principais tipos de equipamentos.
- Identificar os custos relacionados aos diferentes tipos de operação de - manuseio (manual, com paletes e empilhadeira mecanizada e manuseio automatizado).
- Avaliar aspectos para a determinação da substituição dos equipamentos

8

PRINCIPAIS ATIVIDADES E NECESSIDADES DE MOVIMENTAÇÃO DE MATERIAIS
3782

- Identificar os principais critérios para a instalação das docas de embarque e desembarque.
- Reconhecer os aspectos a serem observados na escolha do sistema de manuseio.
- Conhecer os tipos de sistemas de movimentação e manuseio de materiais

8

SUBSISTEMAS LOGÍSTICOS: TÉCNICAS DE ARMAZENAGEM DE MATERIAIS
3783

- Reconhecer como as características dos produtos e do sistema de manuseio impactarão nas decisões iniciais de layout do armazém.
- Identificar os pontos a serem observados no início das operações de armazenagem.
- Verificar como o desenvolvimento de procedimentos de trabalho irá contribuir para a melhoria operacional do armazém

8

LOGÍSTICA E GESTÃO DA CADEIA DE SUPRIMENTOS
10710

- Analisar a revolução da cadeia de suprimentos.
- Identificar o porquê da integração da cadeia de suprimentos gerar valor.
- Demonstrar a funcionalidade do sistema de informação da cadeia de suprimentos

8

TOTAL DE HORAS AULA 488


MÓDULO OPCIONAL
DISCIPLINAS UNIDADES DE APRENDIZAGENS OBJETIVOS H/A
DIDÁTICA E METODOS CIENTIFICOS
DIDÁTICA: UMA PRÁTICA ORGANIZADA - Conceituar a didática
- Relacionar a didática com as estratégias de ensino
- Estabelecer relação entre a didática e o processo de socialização
10
METODOLOGIA: DIFERENTES OPÇÕES DIDÁTICAS Definir o que é a metodologia no trabalho docente.
Apontar diferentes opções metodológicas que podem ser adotadas no processo de ensino-aprendizagem.
Relacionar a metodologia com o uso de diferentes recursos materiais.

10

PROCESSOS DE APRENDIZAGEM - Descrever como os alunos processam o aprendizado
- Discutir as etapas dos processos de aprendizagem
- Explicar o ciclo dinâmico da aprendizagem

10


SELEÇÃO E DOCUMENTAÇÃO NECESSÁRIA PARA MATRÍCULA

01 fotos 3x4; Cópia do Diploma de Curso Superior, Cópia do CPF, Cópia do RG e Cópia do Comprovante de Residência. (Todos as Copias desses documentos deverão obrigatoriamente serem digitalizadas, assinadas pelo candidatos conforme assinatura do RG e enviadas para a FIC pelo correio eletrônico fic@unifal.edu.br .

DADOS DA INSTITUIÇÃO DE ENSINO

MANTENEDORA:
Nome: União de Faculdades de Alagoas Ltda. - UNIFAL
Dirigentes: Sergio TR Costa e Rosário F. Costa.
Endereço: Rua Barão de Jaraguá, 398, Jaraguá, Maceió/AL. CEP: 57.022-140
Fone e Fax: (82) 3326 8069 - E-mail: unifal@ficunifal.edu.br

MANTIDA:
Nome: Faculdade Figueiredo Costa - FIC
Dirigentes: Sergio TR. Costa e Rosário F. Costa
Endereço: Rua Barão de Jaraguá, 398, Jaraguá, Maceió/AL. CEP: 57.022-140
Fone e Fax: (82) 3326-8069 - E-mail: fic@ficunifal.edu.br

EXPEDIÇÃO DO CERTIFICADO

O curso de Pós-Graduação Lato Sensu Em Engenharia De Máquinas E Equipamentos é certificado pela FACULDADE FIGUEIREDO COSTA – FIC, mantida pela UNIFAL.

A FIC é CREDENCIADA E RE-CREDENCIADA PARA OFERTA DE CURSOS SUPERIORES PRESENCIAIS PELA PORTARIA MEC 289/16 e CREDENCIADA PARA CURSOS SUPERIORES A DISTÂNCIA PELA PORTARIA MEC 90/18 (CREDENCIADA EAD).

Os certificados expedidos pela FIC tem garantia de validade em todo território brasileiro.

INVESTIMENTO

O investimento que o aluno se predispõe para concluir o curso, conforme tabela abaixo:

PLANO TEMPO DE CONCLUSÃO EM MESES TOTAL DO INVESTIMENTO EM R$ PARCELAMENTO
PLANO ÚNICO 6 a 12 2.759,00 de 2x até 12x
Até 10x é sem juros

PRAZO DE CONCLUSÃO DO CURSO
Mínimo de 6 (seis) meses e máximo de 12 (doze) meses.

DIAS E HORÁRIOS DAS AULAS

Educação a distância – EAD

COORDENAÇÃO PEDAGÓGICA E TUTORES

E-mail: fic@unifal.edu.br
A Coordenação de Programas de Ensino a Distância da FIC é a responsável pela Elaboração do Projeto Pedagógico do Curso e sua permanente atualização, devendo promover as reuniões periódicas do colegiado objetivando desenvolver e implantar o presente projeto e as atividades do mesmo. É também responsável pelo gerenciamento do curso e da integração docente e discente, com objetivo de garantir o pleno sucesso na execução deste projeto pedagógico.

OBS: “Os professores são de exclusiva responsabilidade da Coordenação Acadêmica e poderão, a qualquer tempo, serem substituídos, a critério exclusivo da mesma, por razões administrativo-pedagógicas, por outros de equivalente titulação e/ou capacidade profissional”

METODOLOGIA

A concepção metodológica do Curso baseia-se nos ideais de autonomia e protagonismo no Ensino a Distância. O curso prevê a realização de 15 módulos disciplinares curricular, através do Ambiente Virtual de Aprendizagem da FIC. São: 1 (um) módulo disciplinar curricular, com 3 (três) UAs (disciplinas); 2 (dois) módulos disciplinares curricular, com 5 (cinco) UAs e 12 (doze) módulos disciplinares curricular, com 4 (quatro) UAs,  cada.

Os exercícios e os desafios serão realizados no próprio AVA da FICUNIFAL.

Farão jus aos certificados apenas os alunos que concluírem com sucesso todas as disciplinas modulares e obtiverem nota igual ou superior a 70,0 pontos.

A nota final do curso resultará da média aritmética simples, das notas dos módulos, que por sua vez terá a média aritmética simples das UAS (disciplinas).

AVALIAÇÃO

Farão jus aos certificados apenas os alunos que concluírem com sucesso todas as disciplinas modulares e obtiverem nota igual ou superior a 7,0 pontos numa escala de 0 (zero) a 10 (dez).

TECNOLOGIA

A ferramenta fundamental, embora não a única, para o desenvolvimento dos processos educativos será o Ambiente Virtual de Aprendizagem – AVA da FIC, onde serão realizadas as aulas com veiculação pela internet; ambientes virtuais de discussão; biblioteca virtual e informações sobre as disciplinas e avaliação.
A organização deste espaço virtual será uma parceria do Curso com a Coordenação de Programas de Ensino a Distância da FIC e com empresas especialista terceirizadas, para elaboração e distribuição dos materiais audiovisuais.

Outra importante ferramenta indispensável que é amplamente utilizada é o portal da FIC, na bibliotecas virtuais, onde são publicados os textos no formato eletrônico de livros, que poderão ser acessados e impressos, nas bibliotecas virtuais, fazendo com que os alunos do Curso tenham a oportunidade de acessar revistas e os textos de autores nacionais e estrangeiros.

INFRAESTRUTURA FÍSICA

O curso é uma iniciativa da Coordenação de Programas de Ensino a Distância da FIC, que já consta com estrutura física no polo do campus sede, onde funcionam a secretaria, a coordenação do curso, coordenação de tutoria e o colegiado do curso.

Estes espaços possuem os laboratórios de informática, sala de para web conferências, secretaria onde atuarão os professores do curso e demais colaboradores.

INFORMAÇÕES GERAIS

Conforme a nova resolução do MEC, que rege sobre cursos de pós-graduação lato sensu, o TCC não é mais obrigatório, e sim opcional. Sendo assim nossos cursos não contemplam mais o TCC. Caso opte, é só nos enviar seu TCC já orientado e corrigido que após análise de nossa equipe pedagógica ele será inserido no seu certificado.

Vale salientar que como o TCC é um trabalho cientifico, é importante ter o seu título no histórico escolar, que acompanha o Certificado de conclusão de curso.

Os alunos que concluírem todos os requisitos do curso receberão o certificado de conclusão, conforme a Resolução CNE/CES n. 1, de 6 de abril de 2018. Todos os documentos apresentados e aprovação em todas as disciplinas, o aluno será certificado como especialista. Emitiremos uma declaração de conclusão dentro de 10 dias e o certificado em até 30 dias.
O concluinte poderá optar por retirar o certificado em um dos endereços disponibilizados pela instituição ou recebê-lo pelo correio. Não há custo para a retirada do certificado no endereço indicado pela instituição. Para recebê-lo pelo correio, por Sedex será cobrado a taxa referente ao custo de envio.
De acordo com o MEC, os egressos dos cursos oferecidos a distância receberão o mesmo certificado de ensino superior dos cursos presenciais. A modalidade a distância não é citada no certificado.

Os cursos são realizados com base no material didático (livros e videoaulas) e com o suporte por meio do Portal AVA e o portal FicUnifal para acesso as bibliotecas virtuais e-BookFIC e Pearson. O PDF do livro estará disponível para download e as videoaulas serão assistidas no próprio AVA do aluno. Material Online - Videoaulas no AVA e livros em PDF que poderão ser baixados nos seu computador para consultas futuras.

CONTROLE DE FREQUÊNCIA

Todas as ações que o aluno faz no AVA do curso é monitorada, servindo de base para avaliação da assiduidade do aluno no curso.

BIBLIOGRAFIA SUGERIDA PARA O CURSO
AYRES, Dennis de Oliveira; CORREA, Jose Aldo Peixoto. Manual de Prevenção de Acidentes do Trabalho. 2ª Edição. Atlas, 2011.
BRANCO Filho, Gil. A Organização, O Planejamento e O Controle da Manutenção. Ciência Moderna, 2008.
DORIGO, Luiz Carlos; NASCIF, Julio. Manutenção orientada para resultados. Qualitymark, 2009.
FOGLIATTO, Flávio Sanson; RIBEIRO, José Luis Duarte. Confiabilidade e Manutenção Industrial. Campus 2009.
GENTIL, Vicente. Corrosão. LTC, 2011. RAMANATHAN, L. V. Corrosão e seu Controle. Hemus, 1993.
KARDEC, Allan; LAFRAIA, João Ricardo Barusso. Gestão Estratégica e Confiabilidade. Qualitymark, 2007.
KELLY, A.; HARRIS, M.J. Administração da Manutenção Industrial, IBP, 1980.
MIRSHAWKA, Victor. Manutenção Preditiva: Caminho para Zero Defeitos. Makron Books-McGraw-Hill, 1991.
MONCHY, François. A Função Manutenção, Ed. Durban-Ebras, 1989.
MOUBRAY, John. Introdução à Manutenção Centrada na Confiabilidade, Aladon, 1996.
NASCIF, Julio; PINTO, Alan Kardec. Manutenção - Função Estratégica, 3ª Edição. Qualitymark, 2009.
NEPOMUCENO, L. X. Técnicas de Manutenção Preditiva, V. 1 e 2 Edgard Blucher, 1999.
OAKLAND, J.Gerenciamento da Qualidade Total TQM. Nobel, 2007. P. G. MARTINS, R.F.P. Administração da Produção. Laugeni, 2006..
OSADA, Takashi; TOKAHASHI, Yoshikazu. TPM/MPT - manutenção produtiva total. IMAM, 2002.
PEREIRA, Mario Jorge. Engenharia de Manutenção - Teoria e Pratica. Ciência Moderna, 2009.
PINTO, Alan Kardec e NASCIF, Júlio. Manutenção: Função Estratégica. Ed. Qualitymark, 1998.
SANTOS, Valdir Aparecido dos. Manual prático de manutenção industrial. Icone Editora, 2007.
SCAPIN, Carlos Alberto. Analise sistêmica de falhas. INDG, 2007.
SIQUEIRA, Iony Patriota de. Manutenção Centrada na Confiabilidade. Qualitymark, 2005.
TAVARES, Lourival. Excelência na Manutenção. Edit. Casa da Qualidade, 1997.
XENOS, Harilaus G. D. Gerenciando a Manutenção Produtiva. EDG - Editora de Desenvolvimento Gerencial, 1998.
Biblioteca digital da FIC: E-BookFIC, no portal www.ficunifal.edu.br
Biblioteca digital, terceirizada: PEARSON BIBLIOTECA VIRTUAL, no portal www.ficunifal.edu.br
Biblioteca pública MEC: www.periodicos.capes.gov.br