Projeto de curso

PÓS-GRADUAÇÃO ESPECIALIZAÇÃO
LATO SENSU
LOGÍSTICA E GESTÃO DA CADEIA DE SUPRIMENTO

Ensino a Distância – EAD
(Resolução CES/CNE/MEC nº 01/2018)
CURSO CADASTRADO NO MEC EM 27/08/2007 E REVISADO EM 24/01/2019
Os cursos de pós graduação à distância são disciplinados pelo Decreto nº 9057/17

OBJETIVOS GERAIS

Desenvolver técnicas pertinentes ao gerenciamento das cadeias de suprimentos; Entender a necessidade do uso eficiente dos recursos, na busca da eficácia; Conhecer a necessidade da logística como ferramenta estratégica; Conhecimento dos diferentes modais e sua disponibilidade; Levar à compreensão da gestão de estoques, dos custos de armazenagem; Compreender a função de ferramentas para a gestão de estoques; Entender os Incoterms, termos utilizados no comércio internacional; Apresentar os meios de medição de desempenho nas cadeias de suprimentos.

ESTRUTURA CURRICULAR E CARGA HORÁRIA

O Curso está estruturado com 14 (quatorze) módulos, 48 (quarenta e oito) disciplinas, totalizando 480 horas/aulas.

LOGÍSTICA E GESTÃO DA CADEIA DE SUPRIMENTO – EAD
DISCIPLINAS UNIDADES DE APRENDIZAGEM OBJETIVOS   H/A
INTRODUÇÃO À LOGÍSTICA, SISTEMA E FUNÇÕES NA ARMAZENAGEM
MÉTODOS CIENTÍFICOS - Identificar as fases do método científico
- Reconhecer o método científico como construtor de conhecimento científico
- Diferenciar o método científico dos demais métodos existentes
10
INTRODUÇÃO À LOGÍSTICA DE ARMAZENAGEM -Identificar o papel da armazenagem na gestão da cadeia de suprimentos
-Descrever as principais razões para a decisão de implantação de um armazém ou sistema de armazenagem
-Reconhecer a terminologia inicial relacionada a estoques e sistemas de armazenagem
10
NECESSIDADES DE UM SISTEMA DE ARMAZENAGEM - Identificar a necessidade da constituição de sistemas de armazenagens
- Reconhecer as principais razões a favor dos estoques
- Reconhecer as principais razões contra os estoques
10
SISTEMAS DE INFORMAÇÃO DE APOIO ÀS ATIVIDADES LOGÍSTICAS - Apontar os módulos do sistema de informação necessários para apoiar as operações da cadeia de suprimentos
- Identificar os módulos de planejamento e de monitoramento que facilitam a coordenação dentro da empresa
- Verificar o rápido desenvolvimento da tecnologia de comunicação e a disseminação da internet como interface de conectividade com o consumidor
10
ALTERNATIVAS, PLANEJAMENTO E TIPOS DE ARMAZENAGEM
FUNÇÕES DA ARMAZENAGEM - Diferenciar as funções da estocagem
- Identificar as atividades operacionais relacionadas às principais funções dos sistemas de estocagem
- Reconhecer os ganhos ou economias potenciais com a utilização dos sistemas de estocagem
10
ALTERNATIVAS DE ARMAZENAGEM - Conhecer os principais ganhos com a utilização de espaços próprios de armazenagem
- Identificar os principais tipos de armazéns públicos
- Reconhecer as vantagens inerentes à utilização de armazéns públicos ou alugados
10
PLANEJAMENTO E ORGANIZAÇÃO DOS SISTEMAS DE ARMAZENAGEM - Definir os fatores que impactam na seleção do local de armazenagem
- Conhecer os critérios básicos para a definição do dimensionamento da instalação de armazenagem
- Identificar aspectos financeiros que influenciam a opção pelo tipo de espaço de armazenagem
10
TIPOS DE ARMAZÉNS - Conhecer a classificação dos principais grupos de armazéns públicos
- Reconhecer as vantagens da terceirização parcial ou integral da armazenagem
- Identificar os principais serviços e considerações legais dos armazéns públicos
10
GESTÃO DE PROJETO 
PROJETO EM ADMINISTRAÇÃO DA PRODUÇÃO - Reconhecer o conceito de gerenciamento de projetos
- Identificar as partes que compõem um projeto
- Analisar os diferentes tipos de projetos
10
DEFININDO O PROJETO - Explicar o método estruturado para coleta seletiva de informações sobre o projeto
- Discutir a elaboração do escopo do projeto
- Analisar o método deelaboração de escopo baseado na EAP (estrutura analítica do projeto)
10
PROJETO, IMPLANTAÇÃO E CONTROLE DO SISTEMA DE LOGÍSTICA REVERSA Definir o projeto do sistema de logística reversa.
Avaliar o processo de implantação do sistema de logística reversa.
Descrever as formas de controle dos sistemas de logística reversa.
10
PLANEJAMENTO LOGÍSTICO - Discutir uma metodologia genérica para o planejamento logístico
- Estruturar o planejamento logístico em fases
- Apresentar métodos e técnicas de análise da operação da cadeia de suprimentos
10
LOCALIZAÇÃO, LAYOUTS E ORGANIZAÇÃO DE ARMAZÉNS
FATORES QUE AFETAM A LOCALIZAÇÃO DOS ARMAZÉNS - Reconhecer os principais problemas de localização
- Conhecer uma breve perspectiva histórica da localização
- Interpretar a avaliação da localização de armazéns de instalação única
10
ORGANIZAÇÃO DOS SISTEMAS DE ARMAZENAGENS E LAYOUTS DE ARMAZENS - Conhecer as possibilidades de uso e configuração das instalações de armazenagem quanto à altura das estruturas
- Identificar os fatores que afetam a decisão de configuração das instalações de armazenagem quanto ao comprimento e largura
- Reconhecer princípios de configuração do layout dos armazéns
10
MÉTODOS E ORGANIZAÇÃO DE TRABALHO EM ARMAZÉNS - Conhecer os principais métodos para a determinação da localização dos estoques no espaço de armazenagem
- Identificar os critérios para definição do perfil de atividades e subáreas dos armazéns
- Reconhecer as diferentes formas de gerenciar o manuseio dos materiais no espaço de armazenagem
10
MOVIMENTAÇÃO DE MATERIAIS NAS ATIVIDADES LOGISTICAS
EQUIPAMENTOS DE MOVIMENTAÇÃO DE MATERIAIS EM SISTEMAS DE ARMAZENAGEM - Conhecer as categorias de equipamentos de movimentação e os principais tipos de equipamentos
- Identificar os custos relacionados aos diferentes tipos de operação de - manuseio (manual, com paletes e empilhadeira mecanizada e manuseio automatizado)
- Avaliar aspectos para a determinação da substituição dos equipamentos
10
PRINCIPAIS ATIVIDADES E NECESSIDADES DE MOVIMENTAÇÃO DE MATERIAIS - Identificar os principais critérios para a instalação das docas de embarque e desembarque
- Reconhecer os aspectos a serem observados na escolha do sistema de manuseio
- Conhecer os tipos de sistemas de movimentação e manuseio de materiais
10
SUBSISTEMAS LOGÍSTICOS: TÉCNICAS DE ARMAZENAGEM DE MATERIAIS - Reconhecer como as características dos produtos e do sistema de manuseio impactarão nas decisões iniciais de layout do armazém
- Identificar os pontos a serem observados no início das operações de armazenagem
- Verificar como o desenvolvimento de procedimentos de trabalho irá contribuir para a melhoria operacional do armazém
10
LOGÍSTICA E GESTÃO DA CADEIA DE SUPRIMENTOS - Analisar a revolução da cadeia de suprimentos
- Identificar o porquê da integração da cadeia de suprimentos gerar valor
- Demonstrar a funcionalidade do sistema de informação da cadeia de suprimentos
10
EMBALAGEM NAS ATIVIDADES LOGISTICAS
SUBSISTEMAS LOGÍSTICOS: TÉCNICAS DE MOVIMENTAÇÃO DE MATERIAIS - Conhecer as três principais atividades de manuseio
- Identificar os sistemas de movimentação mecanizados e semimecanizados e seus principais equipamentos de apoio
- Reconhecer as principais possibilidades de automação dos sistemas de manuseio
10
TIPOS E CARACTERÍSTICAS DE EMBALAGENS - Identificar os principais tipos de embalagens e suas características de utilização
- Reconhecer como as embalagens subsidiam de informação o processo logístico
- Conhecer os materiais alternativos e as tendências relacionadas às embalagens
10
PESQUISA E DESENVOLVIMENTO DE EMBALAGENS - Conhecer as perspectivas quanto ao desenvolvimento de embalagens
- Identificar os fatores críticos a serem observados no desenvolvimento das embalagens com ênfase nos aspectos logísticos
- Reconhecer a função das embalagens na prevenção de avarias
10
UNITIZAÇÃO, LOCALIZAÇÃO DE ESTOQUES E SEPARAÇÃO DE PEDIDOS
UNITIZAÇÃO: PALETIZAÇÃO, CONTEINERIZAÇÃO, MARINER SLINGS E BIG-BAGS - Conhecer os objetivos e as funcionalidades da unitização de cargas
- Reconhecer os principais ganhos com a utilização da conteinerização rígida
- Identificar o uso e as diferentes embalagens de unitização aberta ou flexível
10
MÉTODOS DE ENDEREÇAMENTO E LOCALIZAÇÃO DE ESTOQUES: SISTEMA DE ENDEREÇAMENTO FIXO E ENDEREÇAMENTO VARIÁVEL - Conhecer os métodos de identificação-localização fixo e variável
- Visualizar como a definição do perfil de atividade impacta a localização dos itens no armazém
- Identificar os principais arranjos de estocagem para paletes
10
OPERAÇÕES DE SEPARAÇÃO DE PEDIDOS - Conhecer as principais operações de separação de pedidos
- Identificar as etapas do processamento de pedidos
- Apropriar-se de outros fatores que afetam o tempo de processamento dos pedidos
10
INVENTÁRIO, TECNOLOGIA NO CENTRO DE DISTRIBUIÇÃO DE BENS DE CONSUMO
ADMINISTRAÇÃO DE INVENTÁRIO E PATRIMÔNIO: ROTINAS DE CONTROLE EM ARMAZÉNS - Identificar as premissas dos modelos de controle no processo logístico
- Conhecer os tipos de sistemas de controle
- Reconhecer o papel das auditorias de estoques e rotinas de controle na gestão logística e dos armazéns
10
TECNOLOGIA APLICADA AO CENTRO DE DISTRIBUIÇÃO - Conhecer os principais sistemas de comunicação e identificação de produtos no processo de armazenagem, com foco na utilização do código de barras e na leitura óptica
- Reconhecer a utilização do intercâmbio eletrônico de dados (EDI) na comunicação logística entre empresas distintas
- Identificar os usos de computadores pessoais, inteligência artificial e softwares especialistas na rotina de armazenagem
10
DISTRIBUIÇÃO DE BENS DE CONSUMO - Identificar os elementos do serviço ao cliente
- Reconhecer a importância relativa dos serviços logísticos na percepção de qualidade pelo cliente
- Conhecer os principais pontos referentes à gestão do tempo de ciclo de pedido
10
LOGÍSTICA INDUSTRIAL LOGÍSTICA REVERSA
LOGÍSTICA DE ARMAZENAGEM INDUSTRIAL - Reconhecer a perspectiva industrial, manufatureira, relativa à cadeia de suprimento
- Identificar as contribuições logísticas para os ganhos em economia de escala e economia de escopo na indústria
- Conhecer as três principais restrições que afetam as operações de produção e a perspectiva industrial sobre os prazos de entrega
10
APLICAÇÕES INDUSTRIAIS DA LOGÍSTICA DE ARMAZENAGEM - Conhecer algumas estratégias de manufatura e seus processos básicos
- Reconhecer a importância de combinar as estratégias de produção com as possibilidades logísticas e necessidades do mercado
- Identificar as estratégias alternativas de produção e a abordagem relacionadas aos sistemas enxutos
10
ESTOCAGEM E DISTRIBUIÇÃO DE PEÇAS DE REPOSIÇÃO - Conhecer algumas das principais diferenças entre os estoque tradicionais, destinados à comercialização, e os estoques de peças de reposição
- Identificar os principais modelos de classificação de estoques de peças de reposição
- Interpretar os critérios para as decisões de estocagem relativas às peças de reposição
10
LOGÍSTICA REVERSA - Compreender a logística reversa dentro das processos da cadeia de suprimentos
- Identificar como a terceirização pode contribuir para os processos logísticos integrados
- Conhecer o conceito de Triple Bottom Line e como ele se aplica à logística reversa
10
TRANSPORTE NAS ATIVIDADES LOGISTICAS
TRANSPORTE: FUNCIONALIDADE E PARTICIPANTES - Reconhecer as funcionalidades do transporte nos processos da cadeia de suprimentos
- Identificar os participantes envolvidos em todas as etapas do transporte no processo logístico
- Avaliar os riscos e benefícios envolvidos nos principais modais de transporte
10
GESTÃO DE RELACIONAMENTO COM OS CLIENTES: MARKETING E SERVIÇO AO CLIENTE - Identificar o papel do serviço logístico no atendimento aos requisitos dos clientes
- Reconhecer a contribuição da logística para as estratégias de marketing
- Avaliar como os requisitos de disponibilidade, desempenho operacional e confiabilidade norteiam as decisões estratégicas na logística
10
ADMINISTRAÇÃO DE TRANSPORTE: ECONOMIA NO SETOR DE TRANSPORTE - Avaliar as principais variáveis envolvidas na composição dos custos de transporte
- Identificar o impacto dos fatores distância, peso e densidade para a formação do preço do transporte
- Utilizar estratégias que otimizem os custos na contratação ou utilização de serviços de transporte
10
PRECIFICAÇÃO, ROTEIRIZAÇÃO E O MARKETING NAS ATIVIDADES LOGISTICAS
ECONOMIA NO SETOR DE TRANSPORTE - PREÇOS FOB, CIF E DESCONTOS PARA COLETA - Reconhecer as principais alternativas de precificação dos serviços de transporte logístico
- Diferenciar as vantagens e limitações entre os preços FOB e CIF
- Identificar a contribuição dos sistemas de formação de preços para a definição da modalidade a ser adotada pela empresa
10
ROTEIRIZAÇÃO DOS VEÍCULOS: PONTOS ÚNICOS, PONTOS MÚLTIPLOS E PONTOS COINCIDENTES - Identificar as diferentes abordagens para roteiros de pontos únicos, múltiplos ou coincidentes
- Reconhecer os princípios que devem ser observados ao se realizar um plano de roteirização
- Apresentar as principais vantagens ao se adotar um planejamento de roteirização e programação de frotas
10
GESTÃO DE RELACIONAMENTO COM OS CLIENTES: MARKETING TRANSACIONAL X MARKETING DE RELACIONAMENTO - Reconhecer as diferenças entre marketing transacional e marketing de relacionamento
- Identificar a contribuição da logística no relacionamento com o cliente
- Avaliar as expectativas dos clientes e as estratégias para atendê-las, tendo como foco o relacionamento de longo prazo
10
PROCESSAMENTO DE PEDIDOS, RELAÇÕES COLABORATIVAS E TMS
PROCESSAMENTO DE PEDIDOS: INDUSTRIAIS, VAREJO, DO CLIENTE, CANAIS WEB - Reconhecer as principais atividades relacionadas ao ciclo de pedidos
- Identificar as diferenças de requisitos e necessidades no processamento de pedidos no varejo, na indústria e nos canais web
- Avaliar os diferentes fluxos de atendimento de pedidos e selecionar o que melhor se adapta às necessidades da organização
10
DESENVOLVIMENTO DE RELAÇÕES COLABORATIVAS - Analisar os principais aspectos para o desenvolvimento de relações colaborativas entre os participantes da cadeia de suprimentos
- Identificar os elementos que contribuem para a colaboração e a integração das operações logísticas
- Reconhecer as estruturas de cada contexto de relacionamento entre os envolvidos
10
O SISTEMA DE GERENCIAMENTO DE TRANSPORTES - TMS (TRANSPORTATION MANAGEMENT SYSTEM) - Reconhecer o que é um TMS (transportation management system) e quais suas principais atribuições
- Identificar as funcionalidades do sistema de gerenciamento de transporte em suas 5 capacidades: gerência operacional, consolidação, negociação, controle, auditoria e gestão
- Avaliar como a implantação de um TMS pode otimizar as rotinas logísticas de uma organização
10
CUSTEIO NAS ATIVIDADES LOGISTICAS
CUSTEIO ABC - Descrever aspectos gerais dos métodos de custeio.
- Definir o conceito do método ABC.
- Aplicar o método ABC em atividades logísticas.
10
CUSTEIO DE VEÍCULOS - Identificar os métodos de alocação de custos em logística.
- Determinar o custo de capital (depreciação e remuneração de capital).
- Demonstrar o custo operacional.
10
CADEIA DE VALOR E LOGÍSTICA - Definir o conceito de cadeia de valor.
- Identificar o papel da logística na cadeia de valor.
- Reconhecer os impactos de custo e preço na cadeia de valor.
10
CUSTOS NAS ATIVIDADES LOGISTICAS
CUSTOS ASSOCIADOS AOS PROCESSOS LOGÍSTICOS - Identificar os custos logísticos na cadeia de suprimentos.
- Conhecer os custos envolvidos nas atividades básicas da logística.
- Definir os custos de cada nível de serviço.
10
CUSTOS NOS PROCESSOS DE ARMAZENAGEM - Identificar os custos nas decisões dos processos de armazenagem.
- Relacionar os custos na localização de depósitos.
- Entender a otimização dos custos de armazenagem.
10
DEFINIÇÃO DOS TIPOS DE CUSTOS LOGÍSTICOS - Identificar os conceitos básicos de custos.
- Classificar os diferentes tipos de custos.
- Reconhecer as características dos custos logísticos.
10
COMPENSAÇÃO DOS CUSTOS LOGÍSTICOS - Elencar os principais custos em logística.
- Reconhecer os trade-offs em logística.
- Identificar as decisões em redes logísticas baseadas em trade-offs.
10
TOTAL DE HORAS AULA 480


MÓDULO OPCIONAL
DISCIPLINAS UNIDADES DE APRENDIZAGENS OBJETIVOS H/A
DIDÁTICA E METODOS CIENTIFICOS
DIDÁTICA: UMA PRÁTICA ORGANIZADA - Conceituar a didática
- Relacionar a didática com as estratégias de ensino
- Estabelecer relação entre a didática e o processo de socialização
10
METODOLOGIA: DIFERENTES OPÇÕES DIDÁTICAS Definir o que é a metodologia no trabalho docente.
Apontar diferentes opções metodológicas que podem ser adotadas no processo de ensino-aprendizagem.
Relacionar a metodologia com o uso de diferentes recursos materiais.
10
PROCESSOS DE APRENDIZAGEM - Descrever como os alunos processam o aprendizado
- Discutir as etapas dos processos de aprendizagem
- Explicar o ciclo dinâmico da aprendizagem
10

SELEÇÃO E DOCUMENTAÇÃO NECESSÁRIA PARA MATRÍCULA

01 fotos 3x4; Cópia do Diploma de Curso Superior, Cópia do CPF, Cópia do RG e Cópia do Comprovante de Residência. (Todos as Copias desses documentos deverão obrigatoriamente serem digitalizadas, assinadas pelo candidatos conforme assinatura do RG e enviadas para a FIC pelo correio eletrônico, pelo sistema ou pelo portal www.ficunifal.edu.br).

DADOS DA INTITUIÇÃO DE ENSINO

MANTENEDORA:
Nome: União de Faculdades de Alagoas Ltda. - UNIFAL
Dirigentes: Sergio TR Costa e Rosário F. Costa.
Endereço: Rua Barão de Jaraguá, 398, Jaraguá, Maceió/AL. CEP: 57.022-140
Fone e Fax: (82) 3326 8069 - E-mail: unifal@ficunifal.edu.br

MANTIDA:
Nome: Faculdade Figueiredo Costa - FIC
Dirigentes: Sergio TR. Costa e Rosário F. Costa
Endereço: Rua Barão de Jaraguá, 398, Jaraguá, Maceió/AL. CEP: 57.022-140
Fone e Fax: (82) 3326-8069 - E-mail: fic@ficunifal.edu.br

EXPEDIÇÃO DO CERTIFICADO

O curso de pós-graduação lato sensu em Logística e Gestão da Cadeia de Suprimento é certificado pela FACULDADE FIGUEIREDO COSTA – FIC, mantida pela UNIFAL.

A FIC é CREDENCIADA PARA OFERTA DE CURSOS SUPERIORES PRESENCIAIS PELA PORTARIA MEC 289/16 (RECREDENCIADA) e CREDENCIADA PARA CURSOS SUPERIORES A DISTÂNCIA PELA PORTARIA MEC 90/18 (CREDENCIADA EAD). Os certificados expedidos pela FIC tem garantia de validade em todo território brasileiro.

INVESTIMENTO

O investimento varia conforme o prazo que o aluno se predispõe a concluir o curso, ou seja o aluno escolhe um plano e paga a taxa de matricula e a quantidade de meses em que pretende concluir o curso, conforme tabela abaixo:

PLANOS TEMPO DE CONCLUSÃO
EM MESES
TAXA DE MATRÍCULA
EM R$
PARCELAS MENSAIS
EM R$
TOTAL DO INVESTIMENTO
EM R$
PLANO 1 6 - A VISTA 2.250,00
PLANO 2 6 1 x 336,00 6 x 336,00 2.352,00
PLANO 3 8 1 x 275,33 8 x 275,33 2.478,00
PLANO 4 10 1 x 240,54 10 x 240,54 2.646,00
PLANO 5 12 1 x 219,69 12 x 219,69 2.856,00
PLANO 6 14 1 x 206,66 14 x 206.66 3.100,00

OBS: Caso o aluno conclua o curso em prazo superior ao escolhido no contrato, para ter direito ao certificado terá que pagar a diferença do investimento referente ao plano em que concluiu.

PRAZO DE CONCLUSÃO DO CURSO

Mínimo de 6 (seis) meses e máximo de 14 (quatorze) meses.

DIAS E HORÁRIOS DAS AULAS

Educação a distância – EAD

COORDENAÇÃO PEDAGÓGICA E TUTORES

E-mail: fic@unifal.edu.br

A Coordenação de Programas de Ensino a Distância da FIC é a responsável pela Elaboração do Projeto Pedagógico do Curso e sua permanente atualização, devendo promover as reuniões periódicas do colegiado objetivando desenvolver e implantar o presente projeto e as atividades do mesmo. É também responsável pelo gerenciamento do curso e da integração docente e discente, com objetivo de garantir o pleno sucesso na execução deste projeto pedagógico.

OBS:: “Os professores são de exclusiva responsabilidade da Coordenação Acadêmica e poderão, a qualquer tempo, serem substituídos, a critério exclusivo da mesma, por razões administrativo-pedagógicas, por outros de equivalente titulação e/ou capacidade profissional”

METODOLOGIA

A concepção metodológica do Curso baseia-se nos ideais de autonomia e protagonismo no Ensino a Distância. O curso prevê a realização de 14 módulos com duração de quatro semanas cada através do Ambiente Virtual de Aprendizagem da FIC. São 6 (seis) módulos disciplinares curricular, com 4 (quatro) UAs e 8 (oito) modulo disciplinar curricular, com 3 (três) Unidades de Aprendizagem de 10h, cada.

Seguindo as diretrizes do Ministério da Educação, as eventuais provas, serão realizadas presencialmente nos polos de apoio presencial do Curso.

Para conhecer os polos de apoio presencial da FIC visite a página ficunifal.edu.br.

Farão jus aos certificados apenas os alunos que concluírem com sucesso todas as disciplinas modulares e obtiverem nota igual ou superior a 5,0 pontos.

TECNOLOGIA

A ferramenta fundamental, embora não a única, para o desenvolvimento dos processos educativos será o Ambiente Virtual de Aprendizagem da FIC, onde serão realizadas periodicamente as aulas com veiculação pela internet; ambientes virtuais de discussão; biblioteca virtual e informações sobre as disciplinas e avaliações.

A organização deste espaço virtual será uma parceria do Curso com a Coordenação de Programas de Ensino a Distância da FIC e com empresas especialista terceirizadas, para elaboração e distribuição dos materiais audiovisuais.

Outra importante ferramenta indispensável que é amplamente utilizada é o site da Coordenação de Programas de Ensino a Distância da FIC, onde são publicados as vídeos aulas e os textos no formato eletrônico de livros. Os livros didáticos podem ser acessados e impressos, nas bibliotecas virtuais, fazendo com que os alunos do Curso tenham a oportunidade de acessar os mais recentes resultados de autores nacionais e estrangeiros.

INFRAESTRUTURA FÍSICA

O curso é uma iniciativa da Coordenação de Programas de Ensino a Distância da FIC, que já consta com estrutura física no polo do campus sede, onde funcionam a secretaria, a coordenação do curso, coordenação de tutoria e o colegiado do curso.

Estes espaços possuem os laboratórios de informática, sala de para web conferências, secretaria onde atuarão os professores do curso e demais colaboradores.

Além disso, os Polos de Apoio Presencial devem contar com acervo bibliográfico na área de conhecimento do curso, que poderá ser utilizado tanto para consulta local, como também empréstimos, de acordo com as normas de cada polo. Ainda possuem laboratórios de informática com computadores e equipados para as avaliações on line e acesso às bibliografias e periódicos eletrônicos, também deverá contar com recursos tecnológicos para realização de webs conferências.

SISTEMA DE AVALIAÇÃO

A avaliação deverá considerar: 30% do valor da média mensal será conquistado nos trabalhos virtuais como: questionários das UAs realizados; a participação em Fóruns de Discussão online; a participação em web aulas; a participação nos Chats; a auto avaliação de cada aluno, quando exigida pela Coordenação e os 70% da restante da média mensal, será conquistado nas provas presenciais, nas participações de cada módulo curricular e no TCC e nos encontros presenciais, quando solicitado pela Coordenação.

Deste modo, no tocante aos desempenhos, considera-se APROVADO o aluno que apresenta desempenho considerado satisfatório em todos os quesitos acima mencionados, e aprovados pela Coordenação de Programas de Ensino a Distância da FIC, considera-se media mínima: 5 (cinco); EM RECUPERAÇÃO o aluno que apresenta desempenho considerado insuficiente em até 4 (quatro) disciplinas e com requerimento de justificativa do mau desempenho, analisada e aprovada pelo colegiado do curso, poderá MATRICULAR-SE NAS DISCIPLINAS reprovadas e completar o curso e REPROVADO o aluno que não foi aprovado durante o curso em 5 (cinco) ou mais de 5 (cinco) disciplinas, perde as condições de realizar as recuperações e está totalmente reprovado e para concluir o curso deverá realizar nova MATRICULA NO CURSO e pagar as disciplinas reprovadas.

CONTROLE DE FREQUÊNCIA

O aluno deverá ter 75% de frequência obrigatória nas UAs de cada disciplina do curso.

Considerando a modalidade à distância, a frequência do aluno será verificada a partir dos acessos realizados nas web aulas nas UAs.

Para cada disciplina (módulo curricular mensal) haverão 04 UAs, onde o acesso e participação nos questionários são obrigatórias. Neste caso, o aluno poderá ausentar-se de apenas uma UA. O aluno deve ser ciente de que não frequentando uma UA, poderá enfraquecer a sua média final.

Da mesma forma, haverá um encontros presenciais, quando serão debatidos os temas abordados nos materiais didáticos; ministradas palestras e/ou aulas práticas; efetuada a avaliação de aprendizagem; e a defesa do trabalho de conclusão, quando cada uma dessas atividades estiverem prevista em cronograma.

O comparecimento aos encontros presenciais quando exigido pela coordenação do curso é obrigatório.

Faltando a um encontro presencial, a critério da coordenação do Curso, o aluno poderá participar de um próximo encontro, respeitando o prazo máximo de conclusão do Curso. Não será permitido ao participante faltar a mais de dois encontros presenciais.

BIBLIOGRAFIA SUGERIDA

ARNOLD, J. R. Tony. Administração de materiais: uma introdução. São Paulo, SP: Atlas, 1999.
BALLOU, R. H. Planejamento, Organização e Logística empresarial. São Paulo: Artmed, 2001.
BALLOU, Ronald H. Gerenciamento da cadeia de suprimentos/logística empresarial. 5. ed. Porto Alegre: Bookman, 2006.
BALLOU, Ronald H. Logística empresarial: transportes, administração de materiais e distribuição física. São Paulo, SP: Atlas, c1992.
BANZATTO, Eduardo. WMS: sistema de gerenciamento de armazéns. São Paulo: IMAM, 1998.
BERTAGLIA, P. R. Logística e gerenciamento da cadeia de abastecimento. São Paulo: Saraiva, 2006.
BOWERSOX, Donald J.; CLOSS, David J. Gestão Logística da Cadeia de Suprimentos. Porto Alegre: Bookman, 2006.
BOWERSOX, Donald J.; CLOSS, David J. Logística empresarial: o processo de integração da cadeia de suprimento. São Paulo: Atlas, 2001.
CHOPRA, S.; MEINDL, P. R. Gerenciamento da cadeia de suprimentos. São Paulo: Prentice Hall, 2003.
CHRISTOPHER, M. Logística e Gerenciamento da Cadeia de Suprimento. São Paulo: Pioneira, 1997.
COOPER, M.; BOWERSOX, D.; CLOSS, D. Gestão da cadeia de suprimentos e logística. Rio de Janeiro: Campus, 2007.
CORONADO, Osmar. Logística integrada: modelo de gestão. São Paulo: Atlas, 2007, c2006.
DIAS, Marco A. P. Administração de materiais: uma abordagem logística. 5.ed. São Paulo: Atlas, 2010.
FLEURY, Paulo F.; WANKE, Peter; Figueiredo, Kleber F. (org.). Logística empresarial: a perspectiva brasileira. São Paulo: Atlas, 2000.
FLEURY, Paulo Fernando; WANKE, Peter (org.). Logística e gerenciamento da cadeia de suprimentos: planejamento do fluxo de produtos e dos recursos. São Paulo: Atlas, 2003.
GOMES, C.F.S.; RIBEIRO, P.C.C. Gestão da cadeia de suprimentos integrada a tecnologia da informação. São Paulo: Cengage Learning, 2004.
HONG, Yuh Ching. Gestão de estoques na cadeia de logística integrada: supply chain. São Paulo, SP: Atlas, 1999.
LEITE, P. R. Logística Reversa. Prentice Hall, 2003.
MOURA, Reinaldo A. Atualidades na logística. São Paulo: IMAM, 2003.
NOVAES, A. G. Logística e Gerenciamento da Cadeia de Distribuição. Rio de Janeiro: Elsevier, 2005.
NOVAES, Antonio G. N.; ALVARENGA, Antonio C. Logística aplicada: suprimento e distribuição física. São Paulo: Pioneira, 1994.
PIRES, Silvio, R. I. Gestão da cadeia de suprimentos: conceitos, estratégias, práticas e casos. São Paulo: Atlas, 2007.
SIMCHI-LEVI, David; KAMINSKY, Philip; SIMCHI-LEVI, Edith. Cadeia de suprimentos, projeto e gestão: conceitos, estratégias e estudos de casos. Porto Alegre: Bookman, 2003.

Websites sobre Arbitragem:
www.fecomercio.com.br - Câmara de Arbitragem Empresarial de São Paulo
www.conima.org.br - Conselho Nacional das Inst. Mediação e Arbitragem
www.cbar.org.br - Comitê Brasileiro de Arbitragem
www.iccwbo.org/court - CCI - Câmara de Comércio Internacional

Biblioteca digital da FIC: E-BookFIC, no portal www.ficunifal.edu.br
Biblioteca digital: PEARSON BIBLIOTECA VIRTUAL, no portal www.ficunifal.edu.br
Biblioteca pública: MEC: www.periodicos.capes.gov.br

TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO - TCC

A partir de uma pesquisa científica, o estudante deverá elaborar um artigo, individualmente, sobre um Modulo Disciplinar Curricular do curso.
Orientação e acompanhamento do estudante:

A orientação e o acompanhamento e a aprovação do TCC é feita pela Coordenação de Programas de Ensino a Distância da FIC. A orientação e o acompanhamento do estudante serão efetuados por meio do EVA da FIC, em sala virtual, especificamente estruturada para tal finalidade. O trabalho de orientação terá como suporte uma sistematização previamente elaborada e disponibilizada na sala virtual, onde orientador e estudante terão possibilidade de acompanhamento, orientação e contatos relativos ao processo de elaboração do TCC.

A defesa individual do TCC é o momento em que o estudante será inquirido pela Coordenação sobre o conteúdo do seu trabalho. É uma atividade obrigatória que ocorre com data e hora marcadas previamente.

É considerado aprovado no TCC o aluno com média final igual ou superior a 5,0 (cinco).