Projeto de curso

PÓS-GRADUAÇÃO ESPECIALIZAÇÃO
LATO SENSU
CONTROLADORIA

Ensino a Distância – EAD
(Resolução CES/CNE/MEC nº 01/2018)
CURSO CADASTRADO NO MEC EM 27/08/2007 E REVISADO EM 23/01/2019
Os cursos de pós graduação à distância são disciplinados pelo Decreto nº 9057/17

OBJETIVOS GERAIS

Ao final do curso, o(a) pós graduando(a) deverá entender a missão e o papel da Controladoria nas empresas, reconhecer suas atribuições e estrutura, compreender o perfil do Controller, identificar as relações da Controladoria com os processos de planejamento, gestão de custos e preços, supervisão de sistemas de informação e suporte à avaliação de desempenho.

ESTRUTURA CURRICULAR E CARGA HORÁRIA

O Curso está estruturado com 14 (quatorze) módulos, 51 (cinquenta e uma) disciplinas totalizando 510 horas/aulas.

CONTROLADORIA – EAD
DISCIPLINAS UNIDADES DE APRENDIZAGENS OBJETIVOS H/A
INTRODUÇÃO A CONTABILIDADE
MÉTODOS CIENTÍFICOS - Identificar as fases do método científico
- Reconhecer o método científico como construtor de conhecimento científico
- Diferenciar o método científico dos demais métodos existentes
10
CAMPO DE APLICAÇÃO, FINALIDADE E OBJETIVOS DA CONTABILIDADE - Identificar claramente a finalidade da Contabilidade nas suas funções administrativa e econômica
- Reconhecer o seu campo de atuação, o patrimônio
- Explicar os seus objetivos de "Controle e Planejamento"
10
TÉCNICAS CONTÁBEIS E PRINCÍPIOS FUNDAMENTAIS DE CONTABILIDADE - Identificar os princípios contábeis
- Analisar as técnicas contábeis
- Utilizar as técnicas contábeis
10
DEFINIÇÕES E CARACTERÍSTICAS DA SITUAÇÃO PATRIMONIAL E COMPONENTES PATRIMONIAIS - Determinar a situação Líquida Patrimonial
- Definir os componentes Patrimoniais
- Distinguir situação patrimonial superavitária, deficitária e nula
10
INFORMAÇÃO, ORÇAMENTO E DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS
ATOS E FATOS ADMINISTRATIVOS E REPRESENTAÇÃO GRÁFICA DOS ESTADOS PATRIMONIAIS - Diferenciar atos e fatos administrativos
- Reconhecer os fatos administrativos permutativos, modificativos e mistos
- Representar graficamente os estados patrimoniais
10
SISTEMAS DE INFORMAÇÃO CONTÁBIL - Identificar a importância e como o sistema de informação contábil pode contribuir com a controladoria
- Diferenciar os tipos de contabilidade
- Classificar os tipos de usuários de informações contábeis
10
VANTAGENS E DESVANTAGENS DA ADOÇÃO DO ORÇAMENTO NA EMPRESA - Apontar as responsabilidades empresariais por meio do planejamento orçamentário
- Definir os critérios e as responsabilidades para a estimativa de gastos empresariais
- Identificar a importância do orçamento empresarial para o controle financeiro
10
ANÁLISE DE DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS - Elaborar uma projeção financeira
- Identificar os tipos de orçamento que compõem as demonstrações financeiras (DRE)
- Analisar as demonstrações financeiras e compará-las com orçamentos
10
PLANEJAMENTO PARA CONTROLADORIA    
PLANEJAMENTO - Diferenciar os tipos de planejamento
- Citar as etapas de um planejamento
- Mensurar os resultados de um planejamento
10
PLANEJAMENTO E CONTROLE ECONÔMICO FINANCEIRO - Definir planejamento financeiro a curto e longo prazo
- Analisar a relação entre custo, volume e lucro
- Entender os conceitos de orçamento e custos e a sua importância na gestão financeira
10
NÍVEIS E PLANOS ESTRATÉGICOS - Identificar o que é uma estratégia
- Descrever os objetivos táticos - metas
- Definir os objetivos a curto e longo prazo
10
PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO - Apresentar as etapas do planejamento estratégico empresarial
- Evidenciar a importância do planejamento estratégico dentro da controladoria
- Diferenciar o planejamento estratégico organizacional do planejamento de controladoria
10
EVOLUÇÃO, CONCEITO E FUNÇÃO DA CONTROLADORIA  
EVOLUÇÃO HISTÓRICA - Identificar os conceitos de controladoria
- Descrever a história e a evolução da controladoria
- Reconhecer a missão e os objetivos da controladoria
10
CONCEITOS: CONTROLADORIA E CONTROLLER - Explicar a estrutura e a organização da controladoria
- Reconhecer o código de ética do profissional de contabilidade
- Descrever o perfil do profissional controller
10
FUNÇÃO DA CONTROLADORIA - Descrever qual a função da controladoria
- Citar as vantagens da controladoria na empresa
- Classificar os tipos de análises feitos pela controladoria
10
FUNÇÃO, AMBIENTE E CONTROLLER   8
FUNÇÕES DA CONTROLADORIA - Reconhecer e diferenciar as funções da controladoria
- Definir a missão da controladoria
- Explicar a estrutura da controladoria
10
AMBIENTE ORGANIZACIONAL DA CONTROLADORIA - Descrever o ambiente empresarial
- Mencionar os tipos de sistemas empresariais
- Citar os meios e a forma de comunicação empresarial
10
FUNÇÃO DO CONTROLLER - Identificar o papel do controller nas empresas
- Citar suas principais funções
- Descrever as diversas atividades de um controller
10
ORIGEM, ORGANIZAÇÃO E USO DA CONTROLADORIA  
ORIGEM E PAPEL DA CONTROLADORIA - Descrever os conceitos básicos de controladoria
- Identificar a origem da controladoria
- Reconhecer a missão e os objetivos da controladoria na atualidade
10
ORGANIZAÇÃO DA CONTROLADORIA - Compreender a organização da controladoria
- Reconhecer o papel da controladoria na gestão empresarial
- Descrever o perfil do profissional controller
10
USO DOS MODELOS DE CONTROLADORIA - Identificar a aplicabilidade dos modelos de controladoria de acordo com as atividades da empresa
- Analisar modelos de controle e adaptá-los ao sistema de informação
- Diferenciar as metodologias de controles
10
A GESTÃO E A CULTURA ORGANIZACIONAL PARA A CONTROLADORIA
PROCESSO DE GESTÃO - Descrever os processos de gestão e sua importância dentro da empresa
- Reconhecer modelos adotados pelo sistema de gestão
- Definir os estilos adotados no sistema de gestão
10
CULTURA ORGANIZACIONAL E GESTÃO ECONÔMICA - Definir os conceitos sobre cultura organizacional
- Conceituar a visão de sistema empresarial
- Reconhecer o ponto de equilíbrio
10
GESTÃO DE PESSOAS E ORGANIZAÇÃO - Descrever o processo de gestão de pessoas
- Estabelecer objetivos e políticas de gestão de pessoas
- Analisar as etapas de gestão de pessoas
10
GECON - Reconhecer os modelos de gestão empresarial
- Analisar a eficácia empresarial por meio de resultados
- Identificar novos desafios da gestão econômica
10
SISTEMAS, MUDANÇA, DESCENTRALIZAÇÃO E BENCHMARKING
SISTEMAS EMPRESARIAIS - Perceber a importância da visão sistêmica e do papel da gestão nos processos empresariais
- Reconhecer o processo de globalização e seus impactos na organização
- Diferenciar os sistemas da empresa e seus subsistemas
10
CONTROLADORIA COMO AGENTE DE GESTÃO DE MUDANÇA COMPORTAMENTAL NAS ORGANIZAÇÕES - Reconhecer a atualidade empresarial
- Identificar o sistema de valor e as mudanças no setor empresarial
- Explicar o que é eficiência na controladoria
10
DESCENTRALIZAÇÃO - Explicar as vantagens e as desvantagens da descentralização
- Identificar o processo de descentralização na tomada de decisão
- Apontar os elementos que estimulam a descentralização
10
BENCHMARKING - Conceituar benchmarking
- Citar os tipos de benchmarking
- Descrever o processo de benchmarking
10
INFORMAÇÃO, ANÁLISE E MODELO DE DECISÃO
DECISÃO, INFORMAÇÃO E MENSURAÇÃO - Citar o processo de decisão baseado na informação
- Analisar o tipo de informação
- Mensurar o conteúdo da informação
10
PROCESSO DECISÓRIO - Definir custos para a tomada de decisão
- Analisar custo, volume e lucro
- Identificar a melhor decisão
10
MODELO DE DECISÃO - Definir os conceitos de custos e sua influência na tomada de decisão
- Analisar a relação entre custo, volume e lucro
- Reconhecer a importância dos sistemas de gestão e o processo de tomada de decisão
10
TEORIA DE PREÇOS - Entender o conceito da teoria de preços
- Aplicar a teoria de preços
- Utilizar a teoria de preçospara visualizar oportunidades de mercado
10
CONTROLES E RESPONSABILIDADE FISCAL  
CONTROLE E AVALIAÇÃO I - Elaborar as demonstrações contábeis seguido das contas de controle
- Aprimorar seus conhecimentos quanto à apuração do resultado do exercício
- Identificar as demonstrações de resultado econômico das entidades voltadas ao setor público
10
CONTROLE E AVALIAÇÃO II - Elaborar as demonstrações e, em seguida, as contas de razão e seus razonetes de controle
- Reconhecer as etapas que fazem parte da apuração do resultado do exercício
- Identificar os procedimentos realizados para análise das demonstrações contábeis
10
LEI Nº 4.320 E LEI DE RESPONSABILIDADE FISCAL I - Reconhecer as legislações pertinentes à contabilidade
- Ampliar os conhecimentos a respeito da apuração dos objetivos, da transparência, dos controles e da responsabilidade da contabilidade
- Reconhecer as características da Lei nº 4320 e da Lei de Responsabilidade Fiscal
10
LEI Nº 4.320 E LEI DE RESPONSABILIDADE FISCAL II - Reconhecer os pontos tratados na Lei nº 4320/64 e na Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF)
- Ampliar os conhecimentos sobre as leis de regulação
- Consolidar os conhecimentos acerca dos procedimentos realizados para análise das demonstrações contábeis, previstas na Lei nº 4320/64 e LRF 101/2000
10
INVESTIMENTO E ENDIVIDAMENTO
MODELO DE DECISÃO SOBRE INVESTIMENTOS - Reconhecer um plano de negócios
- Projetar receitas e custos
- Analisar a viabilidade financeira de investimento
10
GESTÃO DE RISCOS E INVESTIMENTO - Descrever os conceitos de riscos
- Citar os vários tipos de riscos e seus impactos
- Identificar ferramentas para minimizar incertezas
10
ENDIVIDAMENTO - Identificar a necessidade de as organizações captarem recursos de terceiros.
- Verificar os indicadores de gestão que auxiliam a gestão econômico-financeira das organizações.
- Descrever estratégias de gerenciamento dos recursos de terceiros.
10
ANÁLISE E AUDITORIA DE INVESTIMENTOS  
ANÁLISE DE INVESTIMENTOS I - Explicar os principais conceitos da análise de investimentos
- Identificar os princípios e limites da análise de investimentos
- Distinguir os conceitos básicos da análise de investimentos
10
ANÁLISE DE INVESTIMENTOS II - Reconhecer os dois enfoques básicos para a decisão de orçamento de capital
- Distinguir as principais técnicas de análise de investimentos
- Avaliar a aplicação das principais técnicas de análise de investimentos nas empresas
10
ANÁLISE DE INVESTIMENTOS III - Reconhecer e aplicar o payback corrigido na análise de investimentos
- Identificar e aplicar o índice de lucratividade na análise de investimentos
- Reconhecer e aplicar valor anual equivalente na análise de investimentos
10
AUDITORIA DOS INVESTIMENTOS - Analisar a avaliação dos investimentos pelo método de equivalência patrimonial
- Distinguir as espécies de aplicações existentes e suas mutações
- Indicar as normas e os procedimentos contábeis adotados para os investimentos
10
BALANCED SCORECARD, EBTIDA E RESULTADO  
ADMINISTRAÇÃO POR CENTROS DE RESPONSABILIDADE - Conceituar centro de responsabilidade
- Descrever a hierarquia empresarial
- Citar as vantagens e a administração dos centros de responsabilidade
10
ESTRUTURAS DO BSC E O DESENVOLVIMENTO DE OBJETIVOS MÚLTIPLOS - Identificar a relação entre o Balanced Scorecard (BSC) e a tomada de decisão estratégica da organização
- Reconhecer as perspectivas do BSC
- Explicar o processo de elaboração do BSC
10
EVA, MVA E EBITDA - Definir o conceito do EVA
- Explicar o método de cálculo do EVA
- Analisar os métodos de cálculo do MVA
10
O RESULTADO ECONÔMICO COMO DECORRÊNCIA DAS AÇÕES DOS GESTORES - Descrever a composição do resultado econômico
Identificar as ações da gestão que influenciam no resultado econômico
- Reconhecer o processo de mensuração do resultado econômico
10
AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO  
ASPECTOS INTRODUTÓRIOS DE AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO - Reconhecer os conceitos de avaliação de desempenho
- Constatar os objetivos para construção de uma boa avaliação de desempenho
- Identificar as medidas como ferramentas de avalição
10
TIPOS DE INDICADORES PARA AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO - Descrever os tipos de indicadores financeiros
- Mostrar a análise da demonstração de resultado do exercício por indicadores
- Analisar a rentabilidade por indicadores
10
SISTEMA DE AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO - Citar os sistemas de avaliações
- Definir seus impactos na empresa
- Identificar ferramentas de avaliação
10
TOTAL DE HORAS AULA 510


MÓDULO OPCIONAL
DISCIPLINAS UNIDADES DE APRENDISAGENS OBJETIVOS H/A
DIDÁTICA E METODOS CIENTIFICOS
DIDÁTICA: UMA PRÁTICA ORGANIZADA - Conceituar a didática
- Relacionar a didática com as estratégias de ensino
- Estabelecer relação entre a didática e o processo de socialização

10

METODOLOGIA: DIFERENTES OPÇÕES DIDÁTICAS Definir o que é a metodologia no trabalho docente.
Apontar diferentes opções metodológicas que podem ser adotadas no processo de ensino-aprendizagem.
Relacionar a metodologia com o uso de diferentes recursos materiais.

10

PROCESSOS DE APRENDIZAGEM - Descrever como os alunos processam o aprendizado
- Discutir as etapas dos processos de aprendizagem
- Explicar o ciclo dinâmico da aprendizagem

10

SELEÇÃO E DOCUMENTAÇÃO NECESSÁRIA PARA MATRÍCULA

01 fotos 3x4; Cópia do Diploma de Curso Superior, Cópia do CPF, Cópia do RG e Cópia do Comprovante de Residência. (Todos as Copias desses documentos deverão obrigatoriamente serem digitalizadas, assinadas pelo candidatos conforme assinatura do RG e enviadas para a FIC pelo correio eletrônico, pelo sistema ou pelo portal www.ficunifal.edu.br.

DADOS DA INTITUIÇÃO DE ENSINO

MANTENEDORA:
Nome: União de Faculdades de Alagoas Ltda. - UNIFAL
Dirigentes: Sergio TR Costa e Rosário F. Costa.
Endereço: Rua Barão de Jaraguá, 398, Jaraguá, Maceió/AL. CEP: 57.022-140
Fone e Fax: (82) 3326 8069 - E-mail: unifal@ficunifal.edu.br

MANTIDA:
Nome: Faculdade Figueiredo Costa - FIC
Dirigentes: Sergio TR. Costa e Rosário F. Costa
Endereço: Rua Barão de Jaraguá, 398, Jaraguá, Maceió/AL. CEP: 57.022-140
Fone e Fax: (82) 3326-8069 - E-mail: fic@ficunifal.edu.br

EXPEDIÇÃO DO CERTIFICADO

O curso de pós-graduação lato sensu em Controladoria é certificado pela FACULDADE FIGUEIREDO COSTA – FIC, mantida pela UNIFAL.

A FIC é CREDENCIADA PARA OFERTA DE CURSOS SUPERIORES PRESENCIAIS PELA PORTARIA MEC 289/16 (RECREDENCIADA) e CREDENCIADA PARA CURSOS SUPERIORES A DISTÂNCIA PELA PORTARIA MEC 90/18 (CREDENCIADA EAD). Os certificados expedidos pela FIC tem garantia de validade em todo território brasileiro.

INVESTIMENTO

O investimento varia conforme o prazo que o aluno se predispõe a concluir o curso, ou seja o aluno escolhe um plano e paga a taxa de matricula e a quantidade de meses em que pretende concluir o curso, conforme tabela abaixo:

PLANOS TEMPO DE CONCLUSÃO
EM MESES
TAXA DE MATRÍCULA
EM R$
PARCELAS MENSAIS
EM R$
TOTAL DO INVESTIMENTO
EM R$
PLANO 1 6 - A VISTA 2.250,00
PLANO 2 6 1 x 336,00 6 x 336,00 2.352,00
PLANO 3 8 1 x 275,33 8 x 275,33 2.478,00
PLANO 4 10 1 x 240,54 10 x 240,54 2.646,00
PLANO 5 12 1 x 219,69 12 x 219,69 2.856,00
PLANO 6 14 1 x 206,66 14 x 206.66 3.100,00

OBS: Caso o aluno conclua o curso em prazo superior ao escolhido no contrato, para ter direito ao certificado terá que pagar a diferença do investimento referente ao plano em que concluiu.

PRAZO DE CONCLUSÃO DO CURSO

Mínimo de 6 (seis) meses e máximo de 14 (quatorze) meses.

DIAS E HORÁRIOS DAS AULAS

Educação a distância – EAD

COORDENAÇÃO PEDAGÓGICA E TUTORES

E-mail: fic@unifal.edu.br

A Coordenação de Programas de Ensino a Distância da FIC é a responsável pela Elaboração do Projeto Pedagógico do Curso e sua permanente atualização, devendo promover as reuniões periódicas do colegiado objetivando desenvolver e implantar o presente projeto e as atividades do mesmo. É também responsável pelo gerenciamento do curso e da integração docente e discente, com objetivo de garantir o pleno sucesso na execução deste projeto pedagógico.

OBS: “Os professores são de exclusiva responsabilidade da Coordenação Acadêmica e poderão, a qualquer tempo, serem substituídos, a critério exclusivo da mesma, por razões administrativo-pedagógicas, por outros de equivalente titulação e/ou capacidade profissional”

METODOLOGIA

A concepção metodológica do Curso baseia-se nos ideais de autonomia e protagonismo no Ensino a Distância. O curso prevê a realização de 14 módulos com duração de quatro semanas cada através do Ambiente Virtual de Aprendizagem da FIC. São 9 (nove) Módulos Disciplinares Curriculares - MDC de 4 (quatro) UAs e 5 (cinco) MDC de 3 (três) Unidades de Aprendizagem - UAs de 10h, cada.

Seguindo as diretrizes do Ministério da Educação, as eventuais provas, serão realizadas presencialmente nos polos de apoio presencial do Curso.

Para conhecer os polos de apoio presencial da FIC visite a página ficunifal.edu.br.

Farão jus aos certificados apenas os alunos que concluírem com sucesso todas as disciplinas modulares e obtiverem nota igual ou superior a 5,0 pontos.

TECNOLOGIA

A ferramenta fundamental, embora não a única, para o desenvolvimento dos processos educativos será o Ambiente Virtual de Aprendizagem da FIC, onde serão realizadas periodicamente as aulas com veiculação pela internet; ambientes virtuais de discussão; biblioteca virtual e informações sobre as disciplinas e avaliações.

A organização deste espaço virtual será uma parceria do Curso com a Coordenação de Programas de Ensino a Distância da FIC e com empresas especialista terceirizadas, para elaboração e distribuição dos materiais audiovisuais.

Outra importante ferramenta indispensável que é amplamente utilizada é o site da Coordenação de Programas de Ensino a Distância da FIC, onde são publicados as vídeos aulas e os textos no formato eletrônico de livros. Os livros didáticos podem ser acessados e impressos, nas bibliotecas virtuais, fazendo com que os alunos do Curso tenham a oportunidade de acessar os mais recentes resultados de autores nacionais e estrangeiros.

INFRAESTRUTURA FÍSICA

O curso é uma iniciativa da Coordenação de Programas de Ensino a Distância da FIC, que já consta com estrutura física no polo do campus sede, onde funcionam a secretaria, a coordenação do curso, coordenação de tutoria e o colegiado do curso.

Estes espaços possuem os laboratórios de informática, sala de para web conferências, secretaria onde atuarão os professores do curso e demais colaboradores.

Além disso, os Polos de Apoio Presencial devem contar com acervo bibliográfico na área de conhecimento do curso, que poderá ser utilizado tanto para consulta local, como também empréstimos, de acordo com as normas de cada polo. Ainda possuem laboratórios de informática com computadores e equipados para as avaliações on line e acesso às bibliografias e periódicos eletrônicos, também deverá contar com recursos tecnológicos para realização de webs conferências.

SISTEMA DE AVALIAÇÃO

A avaliação deverá considerar: 30% do valor da média mensal será conquistado nos trabalhos virtuais como: questionários das UAs realizados; a participação em Fóruns de Discussão online; a participação em web aulas; a participação nos Chats; a auto avaliação de cada aluno, quando exigida pela Coordenação e os 70% da restante da média mensal, será conquistado nas provas presenciais, nas participações de cada módulo curricular e no TCC e nos encontros presenciais, quando solicitado pela Coordenação.

Deste modo, no tocante aos desempenhos, considera-se APROVADO o aluno que apresenta desempenho considerado satisfatório em todos os quesitos acima mencionados, e aprovados pela Coordenação de Programas de Ensino a Distância da FIC, considera-se media mínima: 5 (cinco); EM RECUPERAÇÃO o aluno que apresenta desempenho considerado insuficiente em até 4 (quatro) disciplinas e com requerimento de justificativa do mau desempenho, analisada e aprovada pelo colegiado do curso, poderá MATRICULAR-SE NAS DISCIPLINAS reprovadas e completar o curso e REPROVADO o aluno que não foi aprovado durante o curso em 5 (cinco) ou mais de 5 (cinco) disciplinas, perde as condições de realizar as recuperações e está totalmente reprovado e para concluir o curso deverá realizar nova MATRICULA NO CURSO e pagar as disciplinas reprovadas.

CONTROLE DE FREQUÊNCIA

O aluno deverá ter 75% de frequência obrigatória nas UAs de cada disciplina do curso.

Considerando a modalidade à distância, a frequência do aluno será verificada a partir dos acessos realizados nas web aulas nas UAs.

Para cada disciplina (módulo curricular mensal) haverão 04 UAs, onde o acesso e participação nos questionários são obrigatórias. Neste caso, o aluno poderá ausentar-se de apenas uma UA. O aluno deve ser ciente de que não frequentando uma UA, poderá enfraquecer a sua média final.

Da mesma forma, haverá um encontros presenciais, quando serão debatidos os temas abordados nos materiais didáticos; ministradas palestras e/ou aulas práticas; efetuada a avaliação de aprendizagem; e a defesa do trabalho de conclusão, quando cada uma dessas atividades estiverem prevista em cronograma.

O comparecimento aos encontros presenciais quando exigido pela coordenação do curso é obrigatório.

Faltando a um encontro presencial, a critério da coordenação do Curso, o aluno poderá participar de um próximo encontro, respeitando o prazo máximo de conclusão do Curso. Não será permitido ao participante faltar a mais de dois encontros presenciais.

BIBLIOGRAFIA SUGERIDA

ALMEIDA, Léo G. Gestão de Processos e a Gestão Estratégica. Rio de Janeiro: Qualitimark, 2002.
ALMEIDA, Marcelo Cavalcanti. Auditoria. Um curso Moderno e Completo. São Paulo: Atlas, 2007.
ANDRADE, Maria Margarida. Como Preparar Trabalhos para Cursos de Pós-Graduação. São Paulo: Atlas, 2008.
ANDRADE, Maria Margarida. Introdução a Metodologia do Trabalho Científico. São Paulo: Atlas, 2009.
ANTHONY, A. A.; RAJIV D. B., KAPLAN, R. S., YOUNG S. M. Contabilidade Gerencial. 2ª Ed. São Paulo: Atlas, 2008.
ASSAF NETO, Alexandre. Estrutura e Análise de Balanço. Um enfoque econômico financeiro. São Paulo: Atlas, 2008.
ATTIE, William. Auditoria Interna. São Paulo: Atlas, 2008.
ATTIE, William. Auditoria. Conceitos e Aplicações. São Paulo: Atlas, 2009.
BARROS, Aidil de Jesus Paes de e LEHFELD, Neide Aparecida de S. Projeto de Pesquisa: propostas metodológicas. 12.ed., rev. ampl., Petrópolis-RJ: Vozes, 2001.
BEUREN, Ilse Maria. Gerenciamento da Informação: um recurso estratégico no processo de gestão empresarial. 1ª ed. São Paulo: Atlas, 1998.
BORGES, Humberto Bonavides. Curso de Especialização de Analistas Tributários. 2ª Ed. São Paulo: Atlas, 2003.
BORNIA, Antonio César. Análise Gerencial de Custos. São Paulo: Atlas, 2009.
BOYTON, William C. et alli. Auditoria. São Paulo: Atlas, 2002.
BRASIL. Lei de Diretrizes e Bases da Educação. Brasília, 1996.
CHAVES, Sandramara Martins. Avaliação da Aprendizagem no Ensino Superior – Encontro Nacional de Didática e Prática de Ensino: Goiânia, 2002.
CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE - Normas Brasileira de Contabilidade, Auditoria e Perícia. Brasília: CFC, 2008.
CONSELHO PREGIONAL DE CONTABILIDADE DE SÃO PAULO. Controle Interno nas Empresas. São Paulo: Atlas, 1998.
CONTRERAS, José. A autonomia de professores. São Paulo: Cortez, 2002.
CREPALDI, Silvio Aparecido. Contabilidade Gerencial: teoria e prática. 4ª Ed. São Paulo: Atlas, 2008.
DA SILVA, André Luís Carvalhal e LEAL, Ricardo Pereira. Governança Corporativa. Evidências empíricas no Brasil. São Paulo: Atlas, 2007.
FIGUEIREDO, Sandra; CAGGIANO, Paulo César. Controladoria: teoria e prática. 4ª ed. São Paulo: Atlas, 2008.
FIPECAFI. Manual de Contabilidade das Sociedades por Ações. Aplicáveis às demais Sociedades. (coord). Sérgio de Iudícibus, Eliseu Martins e Ernesto Rubens Gelbcke. São Paulo: Atlas, 2008.
FIPECAFI. Manual de Contabilidade das Sociedades por Ações: Aplicável as demais sociedades. 7ª Ed. São Paulo: Atlas, 2007.
FRANCO, Hilário e MARRA, Ernesto. Auditoria Contábil. São Paulo: Atlas, 1998.
FRANCO, Hilário. Estrutura, Análise e Interpretação de Balanços. São Paulo: Atlas, 1996.
FREZATTI, Fábio. Orçamento Empresarial. Planejamento e Controle Gerencial. São Paulo: Atlas, 2009.
HIGUCHI, Hiromi; HIGUCHI Fábio Hiroshi; HIGUSHI Celso Hiroyuki. Imposto de Renda das Empresas: Interpretação e prática. 34ª ed. São Paulo: IR Publicações Ltda., 2009.
IUDÍCIBUS, Sérgio de e MARION, José Carlos. Introdução à Teoria da Contabilidade. São Paulo: Atlas, 2008.
IUDÍCIBUS, Sérgio de. Análise de Balanços. São Paulo: Atlas, 1998.
IUDICIBUS, Sérgio de. Teoria da Contabilidade. 9ª Ed. São Paulo: Atlas, 2009.
LAKATOS, Eva Maria e MARCONI, Marina de Andrade. Metodologia do trabalho científico.4.ed., rev. ampl., São Paulo: Atlas, 1995.
LUNKES, Rogério João. Manual de Orçamento. São Paul,o: Atlas, 2007.
MARION, José Carlos. Análise das Demonstrações Contábeis. Contabilidade Empresarial. São Paulo: Atlas, 2009.
MARION. José Carlos. Contabilidade Empresarial. São Paulo: Atlas, 2009. STICKNEY, Cleide P. e WEIL, Roman L. Contabilidade Financeira. São Paulo: Atlas, 2001.
MARTINS, P. L. O. Didática teórica e prática: para além do confronto. São Paulo, Loyolo, 1989. 180p.
MATARAZZO, Dante C. Análise Financeira de Balanços. Abordagem Básica e Gerencial. São Paulo: Atlas, 2008.
MORANTE, Antonio Salvador e JORGE, Fauzi Timaco. Controladoria. Análise financeira, planejamento e controle orçamentário. São Paulo: Atlas, 2008.
MORETO, Vasco Pedro. Prova: um momento privilegiado de estudo, não um acerto de contas. Rio de Janeiro, DPSA, 2001.
MOSIMAN, Clara Pellegrino e FISCH, Sílvio. Controladoria seu papel na administração da empresa. São Paulo: Atlas, 2000.
NASCIMENTO, Auster Moreira e REGINATO, Luciane. Controladoria. Um enfoque na eficácia organizacional. São Paulo: Atlas, 2009.
OLIVEIRA, Djalma de Pinho Rebouças. Governança Corporativa na Prática. São Paulo: Atlas, 2006.
OLIVEIRA, Luís Martins et Alli. Controladoria Estratégica. São Paulo: Atlas, 2009.
OLIVEIRA, Luis Martins; PÉREZ JR., José Hernandes; CHIREGATO, Renato; GOMES, Marliete Bezerra. Manual de Contabilidade Tributária. 4ª Ed. São Paulo: Atlas, 2005.
PADOVEZE, Clóvis Luís. Contabilidade Gerencial: Um enfoque em Sistema de Informação Contábil. 5ª Ed. São Paulo, 2009.
PADOVEZE, Clóvis Luís. Manual de Contabilidade Básica. São Paulo: Atlas, 2009.
PÁDUA, Elisabete Matallo M. de. Metodologia da pesquisa. 5. Ed., São Paulo: Papirus, 2000.
PELEIAS, Ivam Ricardo. Controladoria: gestão eficaz utilizando padrões. São Paulo: Saraiva, 2002.
PEREIRA, Maria Isabel & SANTOS, Sílvio Aparecido. Modelo de Gestão: uma análise conceitual. São Paulo: Pioneira Thomson Learning, 2001.
PÉREZ JÙNIOR, José Hernandez; FRANCO, Sérgio Paulo Cintra; PESTANA, Armando Oliveira. Controladoria de Gestão. 2ª Ed. São Paulo: Atlas, 1997.
PIMENTA, Selma Garrido e ANASTASIOU, Léa das Graças Camargo. Docência no Ensino Superior. São Paulo: Cortez, 2002.
ROSSETTIi, José Paschoal et alli. Governança Corporativa. São Paulo: Atlas, 2009.
SÁ, Antonio Lopes de. Teoria da Contabilidade. 4ª ed. São Paulo: Atlas, 2008.
SANTOS, José Luiz dos. e SCHMIDT, Paulo. Contabilidade Societária. São Paulo: Atlas, 2009.
SANVICENTE, Antonio Zorato e SANTOS, Celso da Costa. Orçamento na Administração de Empresas: Planejamento e Controle. São Paulo: Atlas.
SEVERINO, Antônio Joaquim. Metodologia do trabalho científico. 22.ed., rev. ampl. São Paulo: Cortez, 2002.
SILVA, Edson Cordeiro da. Governança Corporativa nas Empresas. São Paulo: Atlas, 2006.
SILVA, Joel Pereira. Análise Financeira das Empresas. São Paulo: Atlas, 2008.
SOUZA. Telma de Mesquita Garcia de. Governança Corporativa e os conflitos de interesses nas Sociedades Anônimas. São Paulo: Atlas, 2005.
WELSCH, Glenn A. Orçamento Empresarial: Planejamento e Controle de Lucro. São Paulo: Atlas. 1997.

Biblioteca digital da FIC: E-BookFIC, no portal www.ficunifal.edu.br
Biblioteca digital: PEARSON BIBLIOTECA VIRTUAL, no portal www.ficunifal.edu.br
Biblioteca pública: MEC: www.periodicos.capes.gov.br

TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO - TCC

A partir de uma pesquisa científica, o estudante deverá elaborar um artigo, individualmente, sobre um Modulo Disciplinar Curricular do curso.

Orientação e acompanhamento do estudante:

A orientação e o acompanhamento e a aprovação do TCC é feita pela Coordenação de Programas de Ensino a Distância da FIC. A orientação e o acompanhamento do estudante serão efetuados por meio do EVA da FIC, em sala virtual, especificamente estruturada para tal finalidade. O trabalho de orientação terá como suporte uma sistematização previamente elaborada e disponibilizada na sala virtual, onde orientador e estudante terão possibilidade de acompanhamento, orientação e contatos relativos ao processo de elaboração do TCC.

A defesa individual do TCC é o momento em que o estudante será inquirido pela Coordenação sobre o conteúdo do seu trabalho. É uma atividade obrigatória que ocorre com data e hora marcadas previamente.

É considerado aprovado no TCC o aluno com média final igual ou superior a 5,0 (cinco).